Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Por padrão, logo após a instalação, nenhum usuário tem acesso ao MySQL remotamente, ou seja, se você tentar, por exemplo:

 

{code}
mysql –h endereço_ip –u root –p

{/code}

 

Onde endereço_ip é o endereço IP do seu servidor MySQL.

 

Você terá a seguinte mensagem de erro:

 

Host 'nome_ou_endereço_IP' is not allowed to connect to this MySQL server

 

Para liberar acesso ao root, ou a qualquer outro usuário, remotamente, ou seja, de outro computador faça o seguinte.

 

Primeiro vamos verificar quem tem acesso. Entre no MySQL, a partir do computador onde ele está instalado:

 

{code}

mysql –u root -p

{/code}

 

Vamos verificar a tabela de usuários:

 

{code}
use mysql;

select user,host from users

{/code}

 

Teremos como resultado algo assim:

 

+-----------------+------------------+

| user              | host              |

+-----------------+------------------+

| root              | 127.0.0.1      |

+-----------------+------------------+

 

Isso quer dizer que o usuário root pode ter acesso ao MySQL a partir apenas do computador de onde ele está instalado (127.0.0.1 é o localhost).

 

Para dar acesso ao root a partir de qualquer computador use:

 

{code}

grant all privileges on *.* to root@'%' identified by 'senha' with grant option;

flush privileges;

{/code}

 

Troque senha pela senha do root.

 

Isso irá dar privilégios ao root em todas os bancos de dados e em todas as tabelas (*.*) a partir de qualquer host (%).

 

Se você repetir os comandos:

 

{code}
select user,host from users

{/code}

 

Você terá algo assim:

 

+-----------------+------------------+

| user              | host              |

+-----------------+------------------+

| root              | 127.0.0.1      |

+-----------------+------------------+

| root              | %                  |

+-----------------+------------------+

 

 

Pronto, acesso liberado!

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Não é uma das tarefas mais difíceis fazer um backup de seus dados em um servidor MySQL, muito menos restaurá-lo depois.

 

Para fazer o backup use o comando, que está no diretório de instalação do MySQL:

 

{code}

mysqldump –u usuário –p nome_do_banco_de_dados > arquivo_de_backup.sql

{/code}

 

Substitua usuário pelo nome do usuário que pode ter acesso ao banco de dados, nome_do_banco_de_dados pelo nome do banco de dados a ser copiado e substitua arquivo_de_backup.sql pelo nome que deseja que o arquivo de backup tenha.

 

Se quiser fazer para todos os bancos de dados do seu servidor use:

 

{code}

mysqldump –u usuário –p --all-databases > arquivo_de_backup.sql

{/code}

 

O passo essencial é guardar o arquivo gerado pelo backup em um local seguro e distante do servidor e fazer backups periódicos de seus dados.

 

Para restaurar o backup, use:

 

{code}

mysql –u usuário –p banco_de_dados < arquivo_de_backup.sql

{/code}

 

 

Isso fará com que os dados armazenados no arquivo_de_backup.sql sejam colocados dentro do banco_de_dados. Para usuário substitua-o por um que tenha acesso aos bancos de dados do servidor.

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 

Converter uma base de dados para outro servidor de banco de dados sempre foi visto como uma tarefa difícil e chata, porém atualmente é possível realizá-la de forma prática utilizando ferramentas como o SQL Server Business Intelligence Development Studio.

Embora converter uma base de dados não seja ideal, existe essa necessidade já que muitas pessoas decidem não mudar o sistema de sua loja ou empresa justamente para não perder sua base de informações. Se você puder oferecer a alternativa de manter essas informações que são fundamentais para que o negócio dessas pessoas funcione, então certamente elas irão se interessar em adquirir um sistema melhor e com novas funcionalidades que ainda não existiam quando aquele sistema antigo que está sendo atualmente utilizado, talvez ainda em DOS, foi desenvolvido.

Utilizando o SQL Server Business Intelligence Development Studio:

Para converter uma base de dados você deve criar um projeto do tipo: Integration Services Connections Project.

New Project

 

Após selecionar o template do seu projeto, o Wizard irá ajudá-lo a criar as conexões de origem e destino, selecionar os provedores de dados correto e configurar as conexões.

 

Select Data Provider

 

Selecione o provedor de dados que será utilizado e clique em Add. Neste caso irei converter uma base de dados em Access para o SQL Server 2008, porém é possível converter diversas bases de dados como Oracle, DB2, MySQL, Paradox entre outros.

 

Connection Manager

 

Selecione o Microsoft Jet 4.0 OLE DB Provider, informe o caminho da base de dados de origem e clique em Ok.

Agora você criou a conexão de origem, porém ainda é necessário criar a conexão de destino.

Connection Manager

 

Selecione e provedor de dados para o SQL Server 2008, que é o SQL Server Native Client 10.0, o nome do servidor, que é a instância do SQL Server que foi instalada na máquina, informe o usuário e senha, caso o modo de autenticação seja SQL Server Authentication, e selecione a base de dados de destino.

Feito isso será exibida uma tela com as duas conexões, onde você deverá selecionar qual é a de origem, qual é a de destino e clicar em Finish.

 

Project

 

Agora é necessário definir o fluxo de dados, informar quais informações você quer converter, de qual tabela ela vem e pra onde ela vai.

Para configurar a origem ou o destino basta dar duplo click em source (origem) ou destination (destino).

Configurando a origem:

Origem

 

Utilizando a conexão de origem conseguimos acessar as informações na base de dados de origem. É possível selecionar uma tabela da qual determinaremos quais colunas queremos converter para a nossa nova base de dados ou então criar um comando SQL para selecionar as informações desejadas. Neste caso queremos converter a tabela de produtos.

 
Após configurarmos a origem é necessário criar um caminho até o destino, para fazê-lo basta selecionar ambos, clicar com o botão direito e escolher Add Path.

 

Add Path

 

Agora podemos determinar para qual tabela iremos mandar as informações vindas da origem e selecionar quais colunas iremos ou não utilizar. Neste caso foi criado um exemplo simples para entender como a ferramenta funciona, mas muitas vezes é necessário fazer uma analise dos dados para entender o que representam as informações armazenas e para onde elas devem ir. Na maioria das vezes os nomes dos campos ou tabelas não são tão claros.

Configurando o destino:

 

Destino
Mappings

Temos as colunas que pegamos da origem e as colunas na tabela de destino, a ligação entre elas deve ser feita quando queremos copiar o conteúdo de um campo da tabela de origem para outro campo da tabela de destino e isto é feito através do mapeamento dos campos (Mappings). Após mapear os campos clicamos em Ok.

Neste caso a origem não é compatível com o destino pois o campo “Descrição” é Unicode na origem e Não Unicode no destino, então é necessário adicionar um componente (Data Conversion) para a conversão do tipo de dados deste campo.

 

Data Conversion

 

 

Neste componente determinamos todos os campos de origem que queremos alterar o tipo de dados, neste caso faremos isso com todos os campos que são Unicode alterando o Data Type para String e depois alterando o destino para pegar as informações já convertidas.

 

Transformation Editor

 

 

Alterando o mapeamento no destino:

Mappings

 

 

Feito isso o novo Pacote de conversão já está pronto para ser executado e para isto clicamos com o botão direito em Package, opção Execute Package.

Execute Package

 

 

 

Após terminar a execução os componentes assumirão a cor verde caso não tenha ocorrido nenhum erro e será possível ver a quantidade de linhas foram convertidas para a base de dados atual.

Package

 

É importante saber que tabelas origem das chaves estrangeiras devem ser convertidas em um fluxo de dados anterior. Neste caso convertemos a tabela de produto, porém nesta tabela tínhamos campos como Categoria e Fornecedor que são chaves estrangeiras provenientes de outras tabelas que devem ser convertidas antes da tabela de produtos, caso contrário irá ocorrer erro na execução do pacote.

Para ligarmos diferentes fluxos de dados (Data Flow), alteramos para a aba Control Flow, selecionamos os fluxos de dados desejados e escolhemos a opção Add Precedence Constraint.

Control Flow

 

 

Agora é possível acessar e manipular as informações que estavam na base de dados antiga na sua nova base de dados, e assim não é necessário limitar o alcance do seu sistema somente para o servidor de banco de dados no qual ele foi desenvolvido visto que é possível migrar até mesmo bases de dados antigas para que essas informações sejam utilizadas no seu sistema.

 

Dúvidas, críticas ou sugestões?
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Maria Cláudia Provinciatto
Estudante de Ciência da Computação
UNESP de Presidente Prudente

 

 

 

 

 

 

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Existem diversas maneiras de instalar um software em uma distribuição Linux, em distribuições baseadas na Red Hat (Red Hat Entreprise Linux, CentOS, Fedora e etc. ,)uma das mais fáceis está em utilizar a aplicação yum.

O yum tem várias funcionalidades entre as principais manter o sistema atualizado e realizar instalações de softwares baixando-os da Internet, resolvendo dependências e promovendo a instalação de forma automática.

Vamos proceder com a instalação usando a interface console em uma instalação padrão da distribuição Fedora 16.

Certifique-se de ter conexão com a Internet, e estar logado como root, abra uma janela de terminal do sistema (console) e digite os comandos:

yum install mysql-server

yum install mysql

Quando solicitado conforme a instalação e aguarde que ela seja concluída.

Uma vez concluída a instalação você pode inicializar o serviço do MySQL com o comando:

service mysqld start

Você pode verificar se o serviço do MySQL está inicializado e funcional com o comando:

service mysqld status

Para fazer com que o MySQL seja iniciado junto o sistema, use o comando:

systemctl enable mysql.service

Quando instalado o MySQL deixa a senha do super usuário root vazia, permitindo assim que qualquer um consiga acesso privilegiado ao gerenciador de banco de dados, sendo extremamente necessário definir uma senha para root. Para fazer isso, use o comando:

mysqladmin –u root password

Troque pela senha que você deseja atribuir ao usuário root.

Para acessar o gerenciador:

mysql  -u root –p

Para sair o gerenciador:

quit

Simples assim! Você já tem o servidor MySQL instalado!