Seu Curso

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Declaração dos Princípios a respeito das Atividades em Detecção de Inteligência Extraterrestre

Imprimir
Avaliação do Usuário: / 5
PiorMelhor 

 

Declaração dos Princípios a respeito das Atividades seguintes a Detecção de Inteligência Extraterrestre


(tradução de http://www.seti.org/post-detection.html)

 

Nós, instituições e participantes individuais da busca por Inteligência Extraterrestre,


Reconhecendo que a busca por Inteligência Extraterrestre é uma parte integral da exploração espacial e é um empreendimento para propósitos pacíficos e de interesse comum da raça Humana,


Inspirados pelo profundo significado para a raça Humana em detectar evidências de Inteligência Extraterrestre, mesmo que a probabilidade de detecção seja pequena,


Recordando do Tratado dos Princípios Diretores das Atividade dos Estados na Exploração e uso do Espaço Exterior, incluindo a Lua e outros Corpos Celestes, o qual determina que os Estados Membros do Tratado “informem ao Secretário Geral das Nações Unidas, assim como o público em geral e a Comunidade Científica Internacional, no maior alcance factível e praticável, a natureza, conduta, localizações e resultados” de suas atividades na exploração espacial (Artigo XI),


Reconhecendo que qualquer detecção inicial pode ser incompleta ou ambígua e requererá uma análise cuidadosa assim como uma confirmação, e que para isso é essencial manter os mais altos padrões da responsabilidade e credibilidade científica,


Aceitamos observar os seguintes Princípios da Disseminação de Informações sobre a Detecção de Inteligência Extraterrestre:


1. Qualquer instituto de pesquisas, individual, público ou privado, ou agência governamental que acredite ter detectado um sinal ou qualquer outra evidência de Inteligência Extraterrestre (o descobridor) deve procurar verificar a mais plausível explicação sobre evidências de que se trata realmente de Inteligência Extraterrestre aos invés de um fenômeno natural ou um fenômeno antropogênico antes de efetuar qualquer anúncio público.


Se a evidência não for confirmada como indicação de existência de Inteligência Extraterrestre, o descobridor pode disseminar a informação, apropriadamente, como descobridor de um fenômeno desconhecido.


2. Antes de fazer um anúncio público de que evidências de Inteligência Extraterrestre foram detectadas, o descobridor deve informar prontamente todos os pesquisadores e organizações de pesquisa que são participantes desta declaração, assim os demais participantes irão procurar confirmar a descoberta através de observações independentes de outras localidades, assim que uma rede de trabalho puder ser estabelecida para prover monitoramento contínuo do sinal ou fenômeno. Nenhum participante desta declaração deve fazer qualquer anúncio público destas informações até determinar-se se a informação tem ou não credibilidade de ser uma evidência concreta da existência de Inteligência Extraterrestre. O descobridor deve informar as autoridades nacionais relevantes.


3. Após concluir que o descobridor apresentou ser de credibilidade as evidências de Inteligência Extraterrestre, e depois de informar as outras partes desta declaração, o descobridor poderá informar observadores em todo o Mundo através da Agência Central para Telegramas Astronômicos da União Internacional de Astronomia, tendo informado a Secretaria Geral das Nações Unidas de Acordo com o Artigo XI do Tratado dos Princípios Diretores das Atividades dos Estados na Exploração e uso do Espaço Exterior, incluindo a Lua e outros Corpos Celestes. Por ter demonstrado interesse e habilidade a respeito da questão da existência de Inteligência Extraterrestre, o descobridor poderá informar simultaneamente as seguintes instituições nacionais (e internacionais) do descobrimento e poderá ainda provê-los de todos os dados pertinentes e informações recolhidas a respeito da evidência : a União Internacional de Telecomunicações, o Comitê de Pesquisas Espaciais, o Conselho das Uniões Científicas, a Federação Internacional de Astronáutica, a Academia de Astronáutica, o Instituto Internacional de Leis Espaciais (para o Espaço), a Comissão 51 da União Internacional de Astronomia e a Comissão “J” da União Internacional de Rádio Ciência.

 

4. A confirmação da detecção de Inteligência Extraterrestre pode ser disseminada prontamente, abertamente, e extensamente através dos canais científicos e mídia pública, observando os procedimentos desta declaração. Sendo que o descobridor terá o privilégio de fazer o primeiro anúncio público.


5. Todos os dados necessários à confirmação da detecção serão avaliados pela Comunidade Científica através de publicações, encontros, conferências, e outros meios apropriados.


6. O descobridor confirmará e monitorará, sendo que todo comportamento dos dados da evidência de Inteligência Extraterrestre deverá ser gravado e guardado permanentemente pela maior extensão de tempo praticável e possível, de forma a deixá-la disponível para análises e interpretações futuras. Estas gravações devem permanecer disponíveis para as instituições internacionais listadas acima e para os membros da Comunidade Científica para uma análise e interpretação mais objetiva.


7. Se a evidência de detecção estiver na forma de sinais eletromagnéticos, as partes desta Declaração deverão procurar um acordo internacional para proteger as freqüências apropriadas pelo exercício dos procedimentos disponíveis através da União Internacional de Telecomunicações. A notícia dever ser enviada imediatamente a Secretaria Geral da ITU (International Telecommunication Union – União Internacional de Telecomunicações) em Genebra, que deve incluir um pedido de minimização das transmissões nas freqüências relevantes na Circular Semanal. O secretariado, em comum acordo com o Concelho Administrativo das Uniões, deve explorar a utilidade e conveniência de uma Conferência Extraordinária de Rádio Administração para encontrar acordos, assuntos e sugestões dos membros administrativos da ITU sobre a questão.


8. Nenhuma resposta ao sinal ou outra evidência de Inteligência Extraterrestre deve ser enviada antes que consultas internacionais tenham sido feitas. Os procedimentos para tais consultas serão assuntos de um acordo, declaração ou arranjamento em separado.


9. O Comitê SETI (Search of Extraterrestrial Intelligence – Procura de Inteligência Extraterrestre) da Academia Internacional de Astronáutica, em acordo com a Comissão 51 da União Astronômica Internacional, conduzirão revisões contínuas dos procedimentos da detecção de Inteligência Extraterrestre e os tratamentos subseqüentes dos dados. Sendo verídicas as evidências de Inteligência Extraterrestre descobertas, um comitê internacional de cientistas e especialista deverá ser estabelecido para servir como um ponto focal (central) para a análise contínua de todas as evidências observacionais coletadas nos resultados do descobridor, e também prover concelhos para as liberações das informações ao público. Este comitê será constituído por representações de cada uma das instituições listadas acima, e outros membros que forem julgados necessários.


Para facilitar a convocação deste comitê a qualquer hora futuramente, o Comitê SETI da Academia de Astronáutica poderá iniciar e manter uma lista atualizada dos representantes de cada instituição internacional listada acima, assim como as outras pessoas com importância relevante, e fará com que alista esteja continuamente disponível à Secretaria da Academia Internacional de Aeronáutica. A Academia Internacional de Aeronáutica agirá como guardiã para essa declaração e disponibilizará anualmente a lista atualizada dos participantes para todas as partes desta Declaração.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

You are here: